Convergência Digital
Ana Paula Lobo* – 15/02/2019

A Microsoft quer ser protagonista nessa jornada digital  – e não por acaso há uma batalha de titãs em andamento na área envolvendo a companhia, o Google, a Amazon e a IBM . Um dos diferenciais é a conexão de  54 regiões no mundo. “Nossa capacidade de conectividade e de computação permite ir e voltar três vezes a lua”, pontuou o CEO.

A computação, preconizou ainda Sadella, abre uma janela de oportunidades e o Brasil se transformou em um mercado essencial. “Não é hora de perder a ambição. A jornada digital é agora”, advertiu. Como cloud não é apenas cloud, ela não está disponível somente para quem tem dinheiro. Sadella fez questão de apresentar dois cases.

Um da Coopercitrus, cooperativa de produtos rurais, que apostou no Azure AI para, junto de drones, coletar imagens e analisar onde aplicar fertilizantes na terra. “Antes, essa tarefa era executada manualmente, o que mostra a democratização da Inteligência Artificial”, afirmou.

O festival de música Rock in Rio é outro case. A organização adotou Microsoft Azure para hospedar seu website em 2017. A infraestrutura tecnológica foi desenvolvida para receber mais de 300 mil requisições simultâneas por minuto em um único dia e o website registrou 18 milhões de visualizações nos sete dias de atrações. Mas não são apenas os grandes que usufruem do poder da cloud. Uma padaria de São Paulo, uma PME,  gerencia o seu inventário com as tecnologias da Microsoft e obtém ganhos de eficiência e produtividade.

Saiba mais sobre